Radares da Ponte Rio-Niterói continuam multando

No início do mês, o  governo federal determinou que o Ministério da Justiça suspendesse o uso de radares de fiscalização de velocidade estáticos, móveis e portáteis. A ordem chegou a ser publicada no Diário Oficial da União. A medida vale para radares de estradas federais administradas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Mas os motoristas que costumam utilizar a Ponte Rio-Niterói devem ficar atentos. Os radares de velocidade instalados em pontos fixos de rodovias federais, como a BR-101 e a Ponte Rio-Niterói, continuam  multando motoristas que não respeitam o limite de velocidade. Vale lembrar que a determinação do governo federal suspende apenas o uso dos equipamentos medidores de velocidade estáticos, São eles instalados sobre veículo parado ou tripé, móveis e portáteis.

Ou seja: a decisão não atinge os radares fixos, os quais, de acordo com Polícia Rodoviária Federal (PRF) continuam em operação. Os demais ficarão suspensos “até que o Ministério da Infraestrutura conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas”.

Radares continuam multando ao longo de toda a Ponte Rio-Niterói

Desde janeiro de 2018, oito radares fixos funcionam na Ponte Rio-Niterói. Os equipamentos utilizam tecnologia a laser e calculam a velocidade ao longo de todo o trecho. Sendo assim, não adianta o motorista reduzir bruscamente a velocidade.

Vale ficar atento: radares da Ponte estão posicionados em quatro pontos. São eles: nos dois sentidos: depois do pedágio, na descida do vão central, na grande reta e na altura do Cais do Porto, na chegada ao Rio.

Quem desrespeitar o limite de velocidade pode arcar com uma multa salgada. O valor é de até R$ 293,47, se estiver mais de 50% acima da velocidade máxima permitida. É considerada infração gravíssima, com perda de sete pontos na carteira de habilitação. Se o motorista exceder até 20% da velocidade máxima, a infração é considerada média. O motorista perde quatro pontos na carteira, além de ser multado em R$ 130,16. Entre 20% e 50% superior à velocidade máxima permitida, a infração é grave. O motorista é punido com perda de cinco pontos e multa de R$ 195,23.

Fonte: Jornal AVS

Compartilhar:

Nathália Emerick