Carro apreendido: o que fazer?

O motorista que já teve o veículo rebocado, sabe tamanho da dor de cabeça que o evento causa . Algumas vezes, o proprietário nem é informado sobre o que ocorreu. Ao chegar no local onde estacionou, ele simplesmente não encontra nada.  Aí, até descobrir que o carro foi apreendido é um susto dos grandes. Após a descoberta, começa a “dor de cabeça” para descobrir o paradeiro do veículo.

A primeira providência é se certificar do que realmente aconteceu. No entanto, a ação mais indicada é buscar nos sites do Detran ou da Prefeitura para onde o veículo foi levado. Então, é necessário entender todo o procedimento  para a liberação do veículo e trabalhar muito a paciência. Os canais oficiais de informações são confusos e o “passo a passo” é pouco explicativo. Sem fala que há ainda algumas diferenças de um órgão para outro.

Como retirar o veículo apreendido ?

Tanto no Detran quanto na Prefeitura, é necessário quitar todos os débitos do carro antes de retirá-lo no depósito. Isso inclui multas e IPVA, caso este não esteja em dia. Todos os boletos podem ser emitidos no próprio site do Detran.

Também devem ser pagas as diárias do depósito e a taxa de remoção. Elas variam de acordo com a classificação do veículo. Prefeitura e Detran praticam valores distintos e salgados.

Detran:
O Detran é mais específico quanto à classificação e divide os veículos em quatro grupos:

  • Leve A: moto, motoneta e ciclomotor)
    Leve B: automóvel, utilitário até 8 passageiros, caminhonete, caminhoneta, triciclo e quadriciclo
    Leve C: utilitário acima de oito passageiros ou transporte de carga
    Pesado: ônibus e caminhão

Prefeitura:
A administração municipal classifica de forma mais genérica.

  • Moto
  • Carro de passeio / Vans
  • Ônibus/Caminhões

Detran e Prefeitura contabilizam as diárias da mesma maneira: são contadas em dias corridos e a primeira vence no fechamento do depósito no dia seguinte à apreensão. As guias para pagamento de todas as taxas podem ser emitidas no respectivo site do órgão em que o veículo está apreendido. É importante lembrar que não são aceitos pagamentos programados ou efetuados pela internet para liberação dos veículos.

Documentação necessária

Para retirada nos depósitos do Detran, é necessário levar original e duas cópias dos seguintes documentos: RG, CPF, Certificado de Registro de Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV). A Guia de Recolhimento do Veículo também deverá ser apresentada no depósito com duas cópias. São exigidos ainda uma cópia do comprovante de residência e o nada consta do veículo, que pode ser emitido no próprio site do Detran.

Se o recibo tiver sido fechado com mais de 30 dias, o proprietário necessita levar a cópia do pagamento do DUDA de transferência. O depósito exige ainda os comprovantes de pagamento das diárias e da taxa de remoção do veículo. Os depósitos da prefeitura solicitam apenas originais e cópias do CRLV e da carteira de habilitação, os comprovantes de pagamento das diárias, da taxa de remoção e também dos débitos pendentes do veículo.

Fonte: Jornal Extra

Compartilhar:

Nathália Emerick